A digitalização dos serviços públicos como forma de agregar valor para a população

A digitalização dos serviços públicos como forma de agregar valor para a população

Não é raro escutar pessoas próximas afirmando que os acontecimentos globais dos últimos anos resultaram em uma migração forçada de serviços presenciais para o mundo digital, impulsionado, principalmente, pelo distanciamento social obrigatório. No entanto, é importante observar que mesmo antes da pandemia, alguns setores já vinham ganhando destaque no universo digital. Muito se ouviu falar sobre o potencial exponencial do e-commerce e sobre fintechs que remodelaram o mercado financeiro através do uso da inovação e da tecnologia disruptiva para criar produtos e serviços inovadores e eficientes, destacando a potência da tecnologia. Se tais transformações foram possíveis no setor privado, por que não torná-las possíveis no setor público também?

Agregar valor nada mais é do que unir os impactos positivos do negócio ou do serviço às pessoas e ao planeta. A crise global atual apenas evidenciou – e acelerou – tendências que já estavam predispostas a acontecer, destacando, principalmente, a importância de tornar os serviços públicos operantes no mundo digital, com qualidade, agilidade e eficiência. Seja por meio da inovação aberta, do investimento público em novas tecnologias, por meio da colaboração com a esfera privada ou por meio de alternativas disponíveis, o processo de promover a digitalização dos serviços públicos e agregar valor para os usuários, deixou de ser uma opção e passou a se tornar, não só uma questão de emergência social, mas, também, um pilar para impulsionar a economia do país. 

A era da digitalização: um impulso para o novo mundo

Mesmo após o atual status da pandemia, é certo que muitos serviços digitais vieram para ficar, fortalecidos, principalmente, pelo destaque em suas vantagens competitivas em termos de custo e eficiência, que promovem benefícios para a população. É claro que implementar o uso de tecnologias disruptivas capazes de atender uma demanda populacional tão extensa, como a do Brasil, pode ser uma tarefa extremamente desafiadora e requer que o poder público prove a todo momento sua capacidade de se apropriar – e usufruir – de tecnologias emergentes para aperfeiçoamento dos recursos ofertados. 

Compreender que é preciso retornar para a sociedade todos os seus esforços que fortalecem o desenvolvimento do país, facilita o entendimento de que a tecnologia pode, sim, ser utilizada como uma ferramenta de compromisso com a população. A sociedade não atua como um organismo à parte do ecossistema de empreendedorismo do setor público, portanto, é preciso garantir que o papel da tecnologia disruptiva seja para agregar valor, viabilizando novos modelos de negócios e de atuação, melhorando a experiência do usuário e gerando bons resultados em termos de desempenho dos serviços, das cidades e do nível de satisfação da sociedade. 

Além da tecnologia fornecer a validação de dados, viabilizando o desenvolvimento de soluções que agregam valor à população, o site do Governo Federal reintegra a importância de desenvolver serviços eficientes e mensuráveis, capazes de atender todos os cidadãos, ao mencionar o Sistema Único de Saúde (SUS), considerado um dos maiores sistemas de saúde pública do mundo:

A demanda é sempre crescente, as mudanças tecnológicas são frequentes e a absorção disso no sistema sofre com duas consequências: a primeira é a oferta do serviço que precisa ser eficiente para atender em quantidade suficiente e em tempo oportuno todas essas demandas e necessidades. A segunda é o desafio do financiamento e alocação de recursos para ter uma base do melhor resultado possível.

O programa Conecte SUS é um grande exemplo de uma iniciativa pública que usufruiu da tecnologia e da inteligência artificial para garantir que todos os cidadãos tenham o fácil acesso em obter dados como vacinação, agendamento de exames e etc., com a finalidade de agilizar filas de espera e auxiliar na distribuição de recursos públicos de forma mais inteligente, através de dados concretos que auxiliam o poder público a detectar prioridades e a tomar decisões importantes. 

Facilitar a abertura de novos negócios, reduzir burocracia para microempreendedores, estimular a criação de emprego e geração de renda, consultas online através do Conecte SUS e carteira de vacinação digital, são apenas algumas das razões para fomentar o processo de digitalização dos serviços públicos, agregando valor, ou seja, contemplar o ganho de qualidade com o objetivo de promover melhores serviços aos cidadãos, usufruindo do mundo digital como um pilar econômico para alavancar o crescimento do país. 

Novos desafios globais resultam em novas demandas da população e em novos problemas estruturais no país. Estudos da Oxford Research relacionados ao futuro do trabalho e a tecnologia apontam sobre os benefícios do universo online em tempos modernos, onde, o processo de digitalizar os serviços públicos não é apenas uma formalidade para acompanhar uma tendência, mas, sim, uma jornada de maturidade das políticas públicas que deve caminhar lado a lado com o movimento de mudança na mentalidade e no comportamento da população, junto ao nascimento de tecnologias disruptivas desenvolvidas pela esfera privada, que podem ser incorporadas no setor público, a fim de desenvolver recursos e serviços capazes de atender a demanda contínua das cidades, das mais simples às mais complexas, de forma que tanto os usuários quanto os governos possam se beneficiar dos impactos positivos gerados pela tecnologia.É claro que desenvolver recursos capazes de melhorar a vida da população é muito importante, mas poder mensurá-los te levará ainda mais longe. Tem dúvida de como é possível medir os resultados da inovação? Leia este post e descubra como fazer isso!

Compartilhe:

Outros posts:

guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
9044
Apoio:
Execução:
Realização: