Inteligência Artificial no setor público: como funciona a aquisição de tecnologia pelo governo?

Inteligência Artificial no setor público: como funciona a aquisição de tecnologia pelo governo?

Confira o Guia de Contratações em Inteligência Artificial e entenda como ofertar soluções tecnológicas para o governo

Ao longo dos últimos dois anos, fomos forçados a repensar tudo o que estávamos fazendo. Se por um lado o cenário conturbado liderado pela pandemia nos causou insegurança de saber que nada seria como antes, por outra perspectiva, tivemos diversas oportunidades de perceber o real valor da inovação, da tecnologia e do trabalho em colaboração, reunindo diversos atores e múltiplos setores para arquitetar soluções capazes de garantir a qualidade e o acesso aos serviços públicos. 

A intensidade do cenário pandêmico nos colocou de frente com a urgência, o imediatismo e a velocidade que soluções tecnológicas precisavam ser colocadas em prática em pouquíssimo tempo, mas com total eficácia. E é claro que esse processo pode ser extremamente difícil em termos de regulamentação, tanto para a iniciativa privada que desenvolve a tecnologia e precisa se adequar às regulamentações impostas quanto para a entidade pública que precisa adquirir tecnologias de forma transparente, ética e sustentável.

Quando falamos sobre implementar projetos de Inteligência Artificial dentro do setor público e disponibilizá-las a serviço da sociedade, há uma série de diretrizes que precisam ser consideradas para garantir sua eficácia: desde questões éticas até sua infraestrutura e ciclos sustentáveis. Yara Baxter, da Fundação Novartis, ressalta a importância de pensar nos ciclos das tecnologias adquiridas pelo setor público para que elas não se tornem obsoletas, mas, sim, recicláveis dentro do ecossistema onde atuam.

Lançamento do Guia de Contratações Públicas de Inteligência Artificial

Durante a 2º Fórum de Inovação em Governo do IdeiaGov, em nossa conversa com especialistas e membros do governo, Patrícia Ellen, Secretária de Desenvolvimento Econômico, afirma que muitas tecnologias com eficácia comprovada em seu segmento de atuação, ainda não puderam ser implementadas em larga escala por desafios regulatórios e  éticos. 

Para compreender o processo de aquisição, contratação e desenvolvimento de soluções em Inteligência Artificial por parte do governo e das empresas que desenvolvem tais tecnologias,  o IdeiaGov recentemente sediou o lançamento do Guia de Contratações Públicas de Inteligência Artificial – uma ferramenta que fornece recursos e viabiliza a compreensão das tecnologias dentro do contexto público, contribuindo para o investimento na tecnologia adequada, mitigando riscos e atuando diretamente no desenvolvimento econômico do Estado de São Paulo. 

O Guia de Contratações Públicas em Inteligência Artificial atua, essencialmente, como diretriz para preparar o servidor público a compreender o uso da tecnologia no seu contexto, envolvendo questões legais, éticas, de segurança e uso de dados (LGPD), transparência e infraestrutura. Além disso, também funciona como uma ferramenta importante para orientar startups, GovTechs, EdTechs e outras instituições que desejam ofertar seus recursos ao governo e contribuir para agregar valor aos serviços públicos promovidos para a sociedade. 

“Se bem aplicadas, as tecnologias podem nos ajudar a fazer uma gestão mais eficiente de recursos, redução das desigualdades e aprimoramento da qualidade e do acesso aos serviços públicos. A colaboração entre atores do setor público, privado e social é fundamental para a implementação de Inteligência Artificial em larga escala”, afirma Patrícia Ellen, Secretária de Desenvolvimento Econômico 

O guia determina muitos outros detalhes para compreender desafios, público-alvo, o investimento adequado e frentes de atuação que uma solução de Inteligência Artificial pode atuar, por exemplo: 

  • Como ferramenta de apoio à tomada de decisão para os órgãos públicos;
  • Como ferramenta de decisão para a sociedade;
  • Como ferramenta para aperfeiçoamento de processos internos de administração pública. 

O governo assume papel fundamental ao atuar como um catalisador da inovação, viabilizando a colaboração entre atores para pensar soluções e desenvolver recursos a fim de agregar valor e melhorar a vida das pessoas. 

Adotar uma cultura baseada em dados ao fomentar a inovação, mitigar riscos que possam comprometer o processo, alinhar expectativas e definir responsabilidades entre atores movidos pelo mesmo objetivo, são pontos importantes de consideração ao adquirir soluções de Inteligência Artificial. 

São muitas as oportunidades para colaborar com a inovação a partir de soluções em Inteligência Artificial. Se você quer se aprofundar mais no desenvolvimento de tecnologias para o setor público, aproveite para assistir o painel completo da nossa Conversa com Especialistas em Contratações Públicas de Inteligência Artificial em nosso canal no YouTube.

Por: Janaína Marsolla

Compartilhe:

Outros posts:

guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
11298
Apoio:
Execução:
Realização: