Startups brasileiras apresentaram soluções contra as mudanças climáticas na COP27

Startups brasileiras apresentaram soluções contra as mudanças climáticas na COP27

Programa global de aceleração, coordenado no Brasil por IdeiaGov, BrazilLAB, Cietec e InvestSP, levou as participantes para a Conferência do Clima para conexão com investidores, especialistas e líderes públicos de todo o mundo

Duas startups brasileiras – a Lemobs e a Tupinambá Energia – se apresentaram na 27ª Conferência do Clima das Nações Unidas, a COP27, realizada entre os dias 6 a 18 novembro, no Egito. Elas oferecem soluções contra os efeitos das mudanças climáticas e estão entre as 15 selecionadas para o programa global de aceleração Global Scale-Up Programme. Os empreendedores tiveram a oportunidade de mostrar suas soluções para investidores, clientes, especialistas e lideranças governamentais e do terceiro setor de diversos países, em uma das agendas da Green Zone, um espaço de eventos, palestras, exibições e performances, coordenado pelo país sede da COP. Enquanto a Lemobs apresentou a sua solução contra o desperdício de alimentos na rede escolar e facilitação da compra de produtos da agricultura familiar; a Tupinambá Energia falou sobre a sua tecnologia para integração de pontos e criação de uma rede de recarga de veículos elétricos.

A participação das duas startups na COP27 integra as ações do Global Scale-Up Programme, programa internacional de aceleração de startups que oferecem soluções para o combate aos efeitos das mudanças climáticas. A iniciativa da organização internacional The CivTech Alliance é fruto de parceria entre 13 instituições públicas e privadas de 9 países e selecionou 15 empresas, de 10 países, que desenvolveram soluções inovadoras para dois desafios: Adaptação e Crescimento Verde e Compras Públicas Verdes. Também foram contempladas startups de Estados Unidos, Reino Unido, Lituânia, Dinamarca, Nova Zelândia, Austrália, Argentina, Bermudas e Ruanda.

A coordenação e execução do programa na América Latina é de responsabilidade das quatro entidades brasileiras que fazem parte da The Civtech Alliance:  IdeiaGov (hub de inovação aberta do Governo do Estado de São Paulo), BrazilLAB (primeiro hub de inovação GovTech do Brasil), Cietec (Centro de Inovação, Empreendedorismo e Tecnologia, responsável pela gestão da incubadora da USP e do IPEN) e InvestSP (Agência Paulista de Promoção de Investimentos e Competitividade).

Antes da COP27, as instituições organizadoras ofereceram às startups uma imersão no ecossistema de inovação e empreendedorismo dos países que integram o programa, também chamada de Safari. A etapa brasileira aconteceu nos dias 21 e 22 de setembro e contou, além de especialistas das 4 organizações, com representantes de fundos de investimento de impacto, do SEBRAE, de organismos internacionais de fomento e de órgãos públicos como Fapesp, Cetesb, Finep, PGE-SP, prefeituras e secretarias municipais de Meio Ambiente de diversas regiões do país.

Inovação além das fronteiras

Apesar de estar apenas na segunda edição, o Global Scale-Up Programme já se tornou uma referência internacional na busca por soluções inovadoras contra as mudanças climáticas. Em 2021, a The CivTech Alliance ganhou o Prêmio Global Public Service Team of the Year, na categoria Climate Heroes, da plataforma Apolitical, pelos resultados da primeira edição do Programa. Esse ano, a ideia de unir governos, instituições e empresas de diferentes países e o formato escolhido pela Aliança para conectar esses agentes, acelerar as startups e escalar as soluções propostas foram tema de estudo da Technical University of Denmark sobre “inovação transfronteiriça”.

O levantamento analisou as ações e os impactos da edição do ano passado, que levou 18 empresas – 5 delas brasileiras – para a COP26 na Escócia, e concluiu que “o programa provou que é possível entregar as soluções necessárias para problemas globais”. O relatório final ainda destaca a disseminação de soluções sustentáveis, a conquista de mais de 200 contatos essenciais, o fechamento de contratos para as empresas participantes – por exemplo, a startup brasileira Scipopulis, que conseguiu um contrato com um município da Lituânia – e a rapidez com a qual as soluções podem chegar a diferentes países. Além disso, as instituições organizadoras também puderam apresentar a iniciativa em outro evento internacional: o The GovTech Summit. O Global Scale-Up Programme foi destaque no encontro, realizado apenas cinco dias antes do início da COP e reuniu lideranças globais e inovadores de ponta na Holanda para discutir como as tecnologias digitais podem transformar os serviços públicos ao redor do mundo. Entre os palestrantes, estavam o fundador da The CivTech Alliance, Alexander Holt, e a consultora de Inovação da InvestSP durante a primeira edição do programa, Sylvia Romanelli. Mais informações estão disponíveis no site https://www.civtechalliance.org/.

Compartilhe:

Outros posts:

guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
12764
Execução:
Realização: